Open Site Navigation

Devo punir o meu cão quando ele ladra?

O ladrar dos cães é muitas vezes interpretado como um comportamento problemático na perspetiva humana, a verdade é que se trata de um comportamento com um forte impacto comunicativo na perspetiva do cão. Nenhum cão ladra sem razão aparente, sendo assim, estas vocalizações estão sempre associadas a estados emocionais e pretendem sempre transmitir uma mensagem a um estímulo.



Atualmente sabemos que existem diferentes tipos de ladrares para diferentes tipos de contextos, enquanto uns têm intenções sociáveis (ex. incentivar a brincar) outros têm finalidades alarmantes (ex. ladrar para uma pessoa estranha) e é precisamente nestes últimos que me vou focar.


Um dos principais erros que os donos cometem no dia-a-dia, é o de punir os cães por estarem a ladrar, ou seja, “suprimir sinais comunicacionais”. Isto é um erro muito grave e pode causar sérios problemas no futuro. Este tipo de punição não resolve o problema, pelo contrário, faz com que o problema tenha tendências em escalar para níveis superiores (mais problemáticos). No fundo, quando um cão é castigado por ladrar, está a aprender que esse comportamento lhe traz consequências adversas, logo vai deixar de o apresentar. Vejamos isto tendo em conta o exemplo mencionado acima – um cão que ladra a uma pessoa estranha! Nestes casos, o ladrar pode estar associado a um estado emocional relacionado com medo. Se o dono punir o cão nestas situações, o cão vai deixar de ladrar mas não vai mudar o seu estado emocional na presença do estranho. Num próximo encontro, o que pode acontecer, é o estranho aproximar-se, e o cão ao invés de ladrar como era habitual, passa a morder! É nestas situações que surge o ditado “o cão mordeu pela calada”, mas isto não corresponde à verdade. A realidade é que o cão passou muito tempo a demonstrar o seu desconforto através do ladrar e foi constantemente punido por isso, consequentemente e fruto dessas punições, o cão não teve outra alternativa e passou a demonstrar o tal desconforto através da mordida!


A chave para este tipo de treino, não é punir o cão por estar a ladrar mas sim contracondicionar (usar técnicas de treino para modificar respostas emocionais condicionadas) o estado emocional do cão, para que o ladrar não apareça! Se conseguirmos fazer alterações no “antecedente” (no contexto que envolve o estímulo problemático) e na “consequência” (naquilo que o cão consegue através do comportamento), conseguimos alterar o comportamento.

Patrick Rocha - Todos os direitos reservados

  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram

+351 936 281 721