Open Site Navigation

Diga não às coleiras aversivas!

As coleiras estranguladoras, coleiras de bicos e coleiras de choque são, infelizmente, acessórios de treino que continuam a fazer parte da metodologia de trabalho de alguns colegas de profissão. Muitos deles, insistem em usar e abusar deste tipo de equipamentos , dizendo aos tutores que este tipo de utensílio não é doloroso para o cão. A verdade é que este tipo de equipamento só é eficiente em termos comportamentais, se causar dor no cão, caso contrário, o cão vai continuar a apresentar o mesmo comportamento.



Estas coleiras aversivas assentam nos princípios do reforço negativo e castigo positivo, do condicionamento operante, ou seja, são usadas para suprimir comportamentos e não mudar comportamentos como a maioria desses treinadores afirmam. Suprimir comportamentos é na verdade suprimir sinais comunicacionais e já escrevi um artigo sobre este assunto há uns tempos https://www.patrickrocha.pt/post/devo-punir-o-meu-cão-quando-ele-ladra. Os treinadores que usam estas ferramentas nos seus protocolos de treino, são treinadores que se preocupam apenas com a parte comportamental do cão e não se preocupam com a parte emocional e o bem estar do animal. Por exemplo, um cão que fica com comportamentos agressivos quando avista outro cão, é estrangulado pelo treinador de modo a cessar esses comportamentos mais problemáticos. A dor causada pelo treinador é de tal forma intensa que o cão deixa de apresentar esses comportamentos agressivos com medo das consequências que estes costumam trazer! Ok, na perspetiva desse treinador e do tutor, o comportamento do cão foi alterado! A minha pergunta é! Mas será que esse treinador contracondicionou o estado emocional do cão? Por outras palavras, será que esse cão passou a gostar de outros cães? A resposta é, CLARO QUE NÃO! Pelo contrário esse cão vai passar a “odiar” cada vez mais os outros cães, pois na presença dos mesmos ele é severamente castigado! Na maior parte dos casos o comportamento tende a ficar pior ao invés de ficar resolvido. O que este tipo de coleiras faz é:

  • Suprimir sinais comunicacionais

  • Camuflar comportamentos mais problemáticos

  • Causar dor, medo e stress nos cães

  • Causar insegurança nos cães pois estes passam a ter medo das suas próprias ações

  • Corromper a relação entre tutor e cão, pois fruto dos ensinamentos do treinador, esse tutor vai aplicar as mesmas técnicas no próprio cão

  • Causar danos na saúde do cão (tecidos moles, coluna, traqueia, esófago, problemas oculares e neurológicos)

Se o seu cão apresenta comportamentos agressivos evite usar este tipo de equipamentos. Procure ajuda e opte por um profissional que trabalhe com métodos “force free”, ou seja, alguém que se preocupa com o bem estar físico e emocional do seu cão. Quero também deixar claro que “clicker” não é sinónimo de métodos “force free”, existem muitos profissionais a usarem um clicker na mão direita e uma trela presa a uma estranguladora na mão esquerda! Na minha perspetiva, isto é tudo uma questão de marketing em tentar vender uma metodologia de treino para enganar o cliente. O sucesso no treino de um cão com problemas comportamentais consiste em:

  • Ensinar comportamentos alternativos ou incompatíveis, para contracondicionar o comportamento alvo (condicionamento operante)

  • Reforçar comportamentos desejados na presença do estímulo problemático

  • Mudar o estado emocional do cão perante o estímulo que acionava os comportamentos indesejados (condicionamento clássico)

  • Fazer treinos de dessensibilização sistemática de modo a expor o cão, gradualmente e de uma forma controlada, ao contexto problemático

  • Melhorar e fortalecer a relação tutor/cão

  • Inserir atividades no dia-a-dia do cão para reduzir o stress e a frustração

  • Respeitar o cão e todas as suas ações

Se realmente gosta do seu cão, não permita que NINGUÉM lhe cause dor, medo e stress!

Patrick Rocha - Todos os direitos reservados

  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram

+351 936 281 721