Open Site Navigation

Estimulação Física

Na última publicação falei sobre a importância e os benefícios da estimulação mental, hoje venho falar sobre a estimulação física. Em termos teóricos ambas tem a mesma finalidade, ou seja, fazer com que os cães desgastem energias de modo a que se sintam bem fisicamente e mentalmente, no entanto, em termos práticos são atividades bem diferentes. A estimulação mental serve essencialmente para desenvolver o sistema cognitivo dos animais e mantê-los ocupados e entretidos por um certo período de tempo, enquanto à estimulação física, tem o intuito de fazer com que os cães desgastem energias através de atividades físicas. É importante referir que apesar de falarmos de atividades distintas, elas estão sempre sincronizadas, isto porque, sempre que estimulamos mentalmente um cão, este também se está a exercitar fisicamente (ex. um cão tem de se mexer para conseguir retirar a comida que se encontra no cubo de ração), e vice verso, sempre que estimulamos um cão fisicamente a estimulação mental também está presente (ex. quando passeamos os nossos cães, existem cheiros e vários estímulos envolventes que interferem na socialização e respetivo sistema cognitivo dos cães.



Proporcionar exercício físico aos nossos cães, não deve ser opcional mas sim uma “obrigação” nas nossas rotinas diárias. A partir do momento que assumimos a responsabilidade de um cão, temos que fazer os possíveis para lhe dar a melhor qualidade de vida possível. Tal como para os seres humanos, as atividades físicas nos cães estimulam a saúde física (sistema cardiorrespiratório e digestivo, ossos, músculos e articulações) e como consequência, durante a prática do exercício físico, ocorre libertação de endorfinas (hormônios que alimentam o bem estar e a saúde mental).


Muitos tutores, assumem que deixar o cão com um enorme quintal à disposição é suficiente para que o animal se possa exercitar e desgastar energias, mas isto é uma ideia errada! Não é o espaço que motiva o cão a exercitar-se mas sim, os estímulos envolventes. O quintal onde o cão passa grande parte do tempo, é uma área que não suscita qualquer interesse exploratório ao cão, visto que ele já conhece todos os cantos e todos os cheiros que lá estão e é por esse motivo que o cão passa a maior parte do tempo a dormir, visto que não há nada de novo nem interessante a fazer. Para o exercício ser empolgante, tem de existir o factor motivação e este factor pode ser: pessoas, uma bola de ténis, um peluche, água, um espaço novo com cheiros diferentes, ou seja, um estímulo que motive o seu cão a explorar e a divertir-se em simultâneo.


A falta de atividade física no dia-a-dia de um cão, pode gerar frustração e stress. Estes estados emocionais são responsáveis por problemas comportamentais como agressividade, hiperatividade, obsessivos compulsivos e ansiedade por separação. Para além destes problemas comportamentais existem os problemas de saúde associados, como por exemplo a obesidade e a osteoporose.


Dedique algum tempo diário ao seu cão para lhe proporcionar atividade física, faça isso em prol do bem estar do seu cão e do seu, visto que ao mesmo tempo que o exercita, você também estará a contribuir para a sua própria saúde. A atividade física, deve sempre ir ao encontro do estado de saúde e físico do seu cão, quantidade nem sempre é sinal de qualidade. 5 horas de caminhada podem ser benéficas e divertidas para um Husky mas não o serão para um Bulldog Inglês (por exemplo). Da mesma forma que longas atividades de agility podem ser satisfatórias para um Border Collie mas não serão adequadas para um São Bernardo. Tenha sempre em conta os limites do seu cão e lembre-se que cada momento que passa junto ao seu animal, são momentos que fortalecem o vínculo tutor/cão e isso melhora este relacionamento. A atividade física (passeios e caminhadas) influencia também a sociabilização, tendo em conta que durante o passeio o cão tem a oportunidade de investigar cheiros, pessoas, outros animais e os mais variados estímulos.


Exemplos de atividades físicas que pode praticar com o seu cão:

  • Caminhadas e passeios

  • Corridas

  • Natação

  • Agility

  • Disc Dog (atividades com frisbees)

  • “Fetch” (atirar um brinquedo para o cão trazer de volta)

  • “Tug-of-War” (tutor e cão a puxar o mesmo peluche ou corda)

Patrick Rocha - Todos os direitos reservados

  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram

+351 936 281 721