Open Site Navigation

Linguagem comunicacional: Os sinais de stress

Enquanto tutores de cães, todos nós deveríamos aprender, a observar e perceber os sinais comunicacionais que os nossos cães apresentam no dia-a-dia. Esta capacidade de observação e compreensão, permite-nos respeitar o cão e prevenir que problemas sérios desencadeiem.



Quando analisamos um cão que exibe comportamentos agressivos, facilmente conseguimos detetar sinais audíveis e visíveis, tais como, ladrares, rosnados, investidas, perseguições e mordidas. No entanto, antes destes comportamentos serem exibidos, os cães apresentam pequenos sinais de stress, que demonstram que estão desconfortáveis nesse determinado contexto. Identificar estes pequenos sinais de stress, permite-nos interferir e antecipar que a situação escale para níveis problemáticos de agressividade. De seguida vou apresentar os sinais aos quais deve prestar especial atenção, pois podem ser indicativo que o seu cão não está confortável num determinado contexto. Lembre-se que os cães demonstram sinais de stress assim que se sentem desconfortáveis e ameaçados, isto é, assim que avistam, ouvem ou sentem, um estímulo problemático (na perspetiva deles). Nestes cenários, começam logo a apresentar pequenos sinais de stress e à medida que o estímulo problemático se aproxima ou o cão se sinta mais ameaçado os sinais tendem a escalar para sinais mais óbvios de que o cão está prestes a agir agressivamente. Os sinais que vou apresentar estão ordenados de forma ascendente, ou seja, stress remoto para stress iminente = comportamentos agressivos:

  • Cheirar o chão

  • Bocejar

  • Sacudir-se

  • Espreguiçar-se

  • Espontânea investigação à própria zona genital

  • Coçar-se

  • Piscar os olhos consecutivamente

  • Lamber os lábios

  • Levantar a pata

  • Falta de concentração

  • Ignora reforços (comida, brinquedos...)

  • Desviar o olhar do estímulo

  • Movimentar-se de forma muito lenta

  • Orelhas caídas para trás

  • Movimentar-se com uma postura corporal mais baixa

  • Cauda entre as pernas

  • Procurar distância ao estímulo

  • Patas suadas

  • Sobrancelhas franzidas

  • Pupilas dilatadas

  • Ereção do pénis

  • Músculos corporais tensos

  • Pelo eriçado

  • “Olho de baleia” (ver-se o branco dos olhos)

  • Vocalizações agudas (choros)

  • Aceleração cardíaca e respiração ofegante

  • Bater os dentes

  • Peso corporal nas patas da frente

  • Cauda fixa e levantada

  • Fixar-se num estímulo de boca fechada

  • Ficar imóvel por uns segundos

  • Reatividade excessiva

  • Dentes cerrados e visíveis

  • Salivar-se e espumar-se

Todos estes sinais podem indicar que o seu cão está sob stress, mas devem ser analisados e adaptados ao contexto em si, e não serem interpretados de forma individual e generalizada. Um cão que acabou de acordar, vai espreguiçar-se. Um cão que acabou de sair da água, vai sacudir-se. Um cão que acabou de fazer uma caminhada de 2h pode salivar-se e estar com uma aceleração cardíaca. Nestes casos, os sinais em si não são sinónimo de stress, mas sim respostas fisiológicas enquadradas ao contexto. Quando os cães apresentam sinais de stress, o que realmente acontece, são descargas de adrenalina que acionam níveis elevados de cortisol. O stress está erradamente associado exclusivamente a estados emocionais negativos, mas fique sabendo que estados emocionais positivos também podem gerar stress no cão. Se o seu cão estiver uns dias sem o ver, quando o reencontro acontecer, a excitação por parte do seu cão será de tal forma intensa que vai poder ver alguns dos sinais de stress acima descritos, isto porque, a excitação gera grandes fluxos de adrenalina, esta adrenalina gera cortisol, e fruto deste processo temos um cão stressado. Por outro lado, quando temos um cão que se sente ameaçado, desconfortável e com medo num determinado contexto, o que esse cão pretende transmitir através dos sinais de stress é, “deixa-me em paz, quero manter-me afastado de ti”! Sendo assim, quando estiver perto de um cão com medo, e ele começar a apresentar alguns dos sinais acima descritos, respeite-o e afaste-se calmamente, desta forma evitará que a situação fique descontrolada e problemática!

Patrick Rocha - Todos os direitos reservados

  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram

+351 936 281 721