Open Site Navigation

O seu cão sofre de Coprofagia?

O ato de um cão ingerir as próprias fezes ou a de outros animais, é chamado de Coprofagia e, é sem margem de dúvida, um dos comportamentos que mais intriga os tutores. Apesar de ser um comportamento pouco higiénico e repugnante na nossa perspetiva, trata-se de um comportamento habitual e frequente, tanto em animais domesticados como selvagens.



Muitos estudos já foram efetuados sobre esta matéria e a origem do “problema” pode estar associado a diversos fatores, nomeadamente:


Causas médicas - Estudos científicos relatam que a insuficiência pancreática exócrina, pancreatite, infeções intestinais e síndromes de má absorção possam estar na origem da Coprofagia. Ainda dentro desta vertente, uma nutrição insuficiente ou de baixa qualidade pode também estar a reforçar este problema. As fezes podem ser nutritivas, apetitosas e representar uma fonte de alimentação para os cães.


Aprendizagem por observação e imitação - Cadelas recém paridas têm por hábito lamber as crias de forma a estimulá-las para urinar e defecar, posteriormente também consomem essas fezes de forma a manter o ninho limpo. Sabendo que os cachorros possuem um forte instinto de curiosidade, ao observarem a mãe neste ato podem sentir-se tentados em imitar, e se a consequência for agradável, na perspetiva do cão, esse comportamento terá tendência em ser exibido com frequência no futuro.


Aborrecimento - Cães que passam muito tempo sós, confinados e sem qualquer estimulação, são cães susceptíveis a desenvolver coprofagia. O stress gerado pela solidão e a necessidade de desgastar energias pode levá-los a entreterem-se (brincadeira) e a ingerirem as fezes.


Falta de atenção - Infelizmente existem cães que não conhecem o significado de afeto e vivem isolados do seio familiar. Se por ventura um destes cães for castigado pelo tutor num momento em que está a comer fezes (“Ah! Não se faz isso!”), pode perfeitamente sentir-se reforçado e aprender que ao comer fezes obtêm a atenção do tutor. Por incrível que pareça, situações destas são muito frequentes.


Castigos - Quando um cão é castigado por fazer as necessidades no sitio errado, este aprende que as fezes resultam em consequências desagradáveis. Neste sentido, o cão passa a defecar na ausência do tutor e pior ainda, pode ingerir as fezes para não deixar vestígios e desta forma evitar a punição.


Resolução do problema

  1. Recorrer ao veterinário para descartar causas médicas e/ou alterar a dieta alimentar do cão.

  2. Gestão e prevenção, evitar que o cão tenha contacto com fezes. Limpar de imediato o local após o cão ter defecado.

  3. Ensinar o cão a fazer as necessidades no sítio certo e ensiná-lo a vir ter com o tutor logo após ter defecado. Desta forma evitamos que o cão caía na tentação de comer as fezes e ensinamos um comportamento alternativo, ou seja, logo após o cão ter defecado, chamamos o cão e recompensamo-lo (com uma guloseima que ele adore ou brincadeira) assim que ele vier ter connosco. Desta forma, o comportamento alternativo torna-se num hábito.

  4. Nunca punir o cão por defecar num local inapropriado.

  5. Aumentar as atividades de estimulação física e mental dos cães.

  6. Recorrer a um treinador ou comportamentalista, caso o problema persista.

Patrick Rocha - Todos os direitos reservados

  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram

+351 936 281 721